Monara Marques
Facebook Twitter Instagram YouTube
Contato
SOBRE
Monara Marques
EIS O MELHOR E O PIOR DE MIM....

O meu termômetro, o meu quilate. Vem, cara, me retrate. Não é impossível. Eu não sou difícil de ler.

O infinito de Marisa Monte não é tão particular. Roubei, na cara dura, um trecho de sua genialidade pra explicar minha insignificância. É assim que eu me sinto com todo esse universo ao meu redor. Às vezes completa, às vezes só. Mas nunca parada. Com 18 anos, resolvi ser porta-bandeira do mundo. Girei, girei, até cair em Budapeste, uma cidade parecida comigo: completamente dividida. “Pluralista”, diriam os colegas das Relações Internacionais, meu primeiro curso universitário. Migrei pro Jornalismo antes que me alistassem a um guerra. Mal sabia eu que estava entrando em uma interminável batalha. Assim são os jogos de futebol, uma das minhas especialidades. Pra quem duvida, está tudo no meu currículo, que em nada combina com storytelling. Atuando na Publicidade, descobri que há um jeito bem mais legal de contar histórias. E é assim que pretendo compartilhar a minha.

Saiba mais

30.ago.2016
Compartilhe: Compartilhe Facebook Compartilhe Twitter Compartilhe Google Compartilhe Pinterest

Muita gente não sabe, mas o Campeonato Espanhol, há um bom tempo, é marcado pela presença feminina nos mais altos cargos de alguns clubes.

EM MADRI
Maria-Victoria-Pavon-leganes

O Leganés, por exemplo, passou dez temporadas seguidas na terceira divisão. Nesse período, dívidas foram agravadas e a troca de poder tornou-se constante. A crise, que parecia insustentável, mudou após a chegada de María Victoria Pavon, empresária do ramo imobiliário, que, em 2008, tornou-se a maior acionista do clube de Madri. Com uma política de controle de gastos, María colocou o Leganés, pela primeira vez em 88 anos, na elite do futebol espanhol.

NO VALÊNCIA
Lay-Hoon-Chan

Com um regime similar, Lay Hoon Chan assumiu a responsabilidade de presidir uma das equipes mais tradicionais da Espanha: o Valência. A empresária chinesa, formada em contabilidade em Cingapura, ocupa, desde 2015, o cargo mais importante do clube. Hoje, já é conhecida no mundo futebolístico como uma executiva “mão de ferro”. Marcada pelo “jogo duro” na hora de negociar, Chan conseguiu transferências de alto valor para o Valência.

NO EIBAR
Amaia_Gorostiza_eibar

Já no Eibar, quem assumiu o cargo de presidente do clube foi a empresária Amaia Gorostiza. A missão? Manter o time basco na primeira divisão espanhola. E, para isso, ela aposta em uma fórmula simples na teoria, mas, muitas vezes, de difícil execução: o trabalho em equipe.

Tem algum comentário a fazer sobre essa notícia? É só clicar aqui.

*Opinião de Monara Marques para a Rádio 730, no dia 30 de agosto de 2016. Clique aqui para ouvir e se inscrever no nosso podcast.

CRÉDITOS
Imagens: Reproduções/Internet

Alexandre Ferrari

Jornalista
Veja também: